Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

\ Notícias \ Notícia

2020: um fino fio de esperança!

Por: Equipe do aleitamento.com

 /

“Esperanças, desespero e um sonho”

 Milton Hatoum*

Espero navegar de novo no Negro, o rio da minha infância, e um dos mais belos da Amazônia brasileira.

Espero que os ministros que professam uma fé fervorosa na irracionalidade sejam mais racionais e menos ideológicos e ressentidos.

Espero que o emprego formal aumente, e que a desigualdade social diminua.

Espero que as ofensas e agressões aos artistas, humoristas, cineastas, cientistas, professores, intelectuais, jornalistas e minorias étnicas cessem de uma vez por todas.

Espero que cessem os incêndios criminosos na floresta, a grilagem de terras indígenas, o assassinato de indígenas, e de pobres, quase todos negros, todos cidadãos brasileiros.

Espero que haja mais compostura nas redes sociais: a polarização política gera mais ódio, violência, intolerância.

Espero reler “Angústia”, do velho Graça, e “O castelo”, de Kafka.

Espero saborear muitas kaftas com hummus, e lutar por um ensino público de qualidade.

Espero que o país seja mais amado. E muito menos armado. E que o humor venha de todos os lados, da frente e dos fundos.

São esperanças vãs? Talvez, mas não há esperança sem reflexão e ação. “Nossas armas são fracas: caneta e papel”, escreveu (com ironia) Graciliano Ramos.

Alguém sonhará que três anos serão três dias, e acordará otimista. Sonhar é agir com paciência e lucidez, saber superar o fosso do tempo perdido e transformar o que for possível. O tempo perdido será transfigurado em arte: tempo reencontrado.

Ser otimista ou pessimista depende da leitura crítica da realidade e do contexto histórico. Em todo caso, sou um otimista desesperado. Para isso, basta para ter

um fio fino de esperança.

 

*Milton Hatoum estreou como escritor em 1989 com o romance “Relato de um certo Oriente”, vencedor do Prêmio Jabuti na categoria. Também escreveu, entre outros, “Dois irmãos”, igualmente premiado pelo Jabuti e adaptado para a TV, o teatro e os quadrinhos, “Cinzas do Norte”, que faturou o Portugal Telecom e mais um Jabuti, e “Órfãos do Eldorado”, que virou filme. 

Texto criado a convite do Globo que expressou o seu desejo para 2020, sem esquecer o Brasil de 2019. 

 

 


Última atualização: 31/12/2019

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital