Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

\ Amamentação \ Criança \ Artigo

MENINAS são mais PROTEGIDAS pela AMAMENTAÇÃO

Por: Will Dunham - Agência Reuters

Amamentação protege mais meninas do que meninos,sugere novo estudo

   

 

Elas ficam mais resistentes a infecção respiratória do que eles quando mamam no peito.
Estudo foi feito com bebês prematuros e de baixo do peso nascidos em Buenos Aires.

will Dunham Da Reuters

 

A amamentação faz bem à saúde de todos os bebês, mas em pelo menos um aspecto as meninas ganham mais em mamar no peito do que os meninos, dizem pesquisadores. Eles acompanharam um grupo de bebês de Buenos Aires que nasceram prematuros e com peso muito baixo, para examinar o efeito protetor da amamentação contra infecções respiratórias. E viram que as meninas corriam risco bem menor de ter essas infecções do que os meninos.

O consenso entre inúmeras pesquisas é que os bebês que mamam no peito têm uma série de benefícios para sua saúde. Eles sofrem menos infecções de ouvido, estomacais e intestinais, menos doenças e alergias de pele, e menos risco de desenvolver pressão alta, diabetes e obesidade. E também há indícios de que eles podem se tornar mais inteligentes.

"O aleitamento materno é uma fonte maravilhosa de nutrição, é importante para o desenvolvimento. Todos se beneficiam com ele", diz um dos autores da nova pesquisa, Fernando Polack, da Universidade Johns Hopkins (Estados Unidos).

"Mas, no caso das doenças respiratórias agudas, como bronquiolite e infecções virais do trato respiratório, parece que há mais benefícios para as meninas. E esse benefício é substancial", afirma Polack.

 

Magrinhos

 

O grupo estudou uma população de bebês especialmente sujeita a esse tipo de infecção - 119 crianças que pesavam menos de 1,5 kg na hora do nascimento. Metade das meninas que não mamaram no peito teve de ser hospitalizadas quando passaram por sua primeira infecção respiratória, enquanto apenas 7% das que foram amamentadas pela mãe precisaram ir para o hospital. Já entre os meninos, não houve diferença: cerca de um quinto deles foi hospitalizado nas mesmas condições em ambos os grupos.

O padrão se repetiu ao longo de todo o primeiro ano de vida dos bebês, relataram os pesquisadores em artigo na revista médica "Pediatrics". Segundo Polack, é possível que algum componente do leite materno ative melhor o sistema de defesa do organismo das meninas do que o dos meninos.

A Academia Americana de Pediatria recomenda que mulheres saudáveis alimentem seus filhos exclusivamente com leite materno até ao menos os seis meses de vida e que continuem a fazê-lo de forma complementar até um ano.

 

No Brasil é diferente

 

O UNICEF, a OMS, o Ministério da Saúde, a Sociedade Brasileira de Pediatria e o aleitamento.com recomendamos que a amamentação prossiga até 2 anos ou mais e que seja exclusiva nos primeiros 6 meses de vida.

 

 

 


Última atualização: 20/5/2011

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital