Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

VACARIA: CIDADE AMIGA da AMAMENTAÇÃO

Por: Angelita Elisabete Herrmann

VACARIA AMIGA DA AMAMENTAÇÃO

 

 

 

JUSTIFICATIVA

 

A garantia das práticas de Aleitamento Materno é atividade essencial das cidades como um todo.

Considerando que Vacaria tem tido índices altos de mortalidade infantil (21,33 por mil nascimentos em 2004, 18,7 por mil nascimentos em 2005 e 15,42 por mil nascimentos em 2006)¹, considerando ainda a baixa renda a maioria da população vacariense (85% da população tem renda menor de um salário mínimo), o incentivo à amamentação é uma das ferramentas mais úteis e de mais baixo custo de que podem utilizar o sistema para contribuir tanto para a segurança alimentar da família e da comunidade, como para a prevenção de diferentes doenças.

A informação incorreta ou falta de informação, uso de mamadeira, chupetas e/ou bicos que são causas de confusão de bicos, a cultura de introdução de  chás e outros líquidos e/ ou sólidos antes dos seis meses, rotinas inapropriadas dos serviços de saúde, apoio inadequado à mulher no lar e na comunidade, falta de proteção à nutriz trabalhadora e incentivos para a alimentação artificial, em particular a distribuição de amostras ou doações gratuitas ou a baixo preço de substitutos do leite materno são fatores existentes no nosso sistema de saúde e que promovem o desmame precoce..

É importante ainda considerar a perda de tradições, crenças e valores, desvalorização da pratica de amamentação da criação das crianças, o não reconhecimento do aleitamento como estratégia para alcançar a segurança alimentar, atitudes médicas e culturais desfavoráveis, influências comerciais negativas, falta de educação orientada à amamentação na educação, a falta de reconhecimento sobre o rol especial da mulher na sociedade, a demanda de trabalho feminino em pomares na produção de maçãs e outras pequenas frutas, o que gera uma mudança desfavorável na carga de trabalho e na possibilidade de proteger a amamentação.

OBJETIVOS

 Realizar em Vacaria um programa eficiente e eficaz de estímulo e apoio ao aleitamento materno, revertendo quadros de baixos índices de crianças em AM e altos índices de mortalidade infantil.

LOCAL

 O Município de Vacaria está localizado na região nordeste do estado do Rio Grande do Sul, na região sul do Brasil, na micro-região dos Campos de Cima da Serra. A expectativa de vida dos habitantes é de 72,48 anos.

Vacaria possui hoje, onze unidades básicas de saúde administradas pelo governo municipal que oferecem atendimento diário em diversas áreas da medicina. São 8.620 atendimentos mensais. Há quatro ambulâncias para remoção de pacientes carentes que necessitam transporte para centros com unidades hospitalares mais completas e desenvolvidas, bem como para remoções dentro do município. A rede pública municipal conta com 48 médicos, 11 dentistas e 30 agentes comunitários. O hospital instalado no Município possui 174 leitos, sendo 112 destinados ao convênio SUS e 62 particulares.

O programa será desenvolvido no município, envolvendo a Secretaria de Saúde e Meio Ambiente e  a Secretaria de Educação e Cultura, bem como o Hospital Nossa Senhora da Oliveira.

METODOLOGIA

Ø     Realização pesquisa com todos os profissionais da saúde sobre o nível de conscientização em relação ao aleitamento materno e de pesquisa diagnóstica de aleitamento materno com crianças até 6 meses no município;

Ø     Capacitação de profissionais da área da saúde no manejo clínico e ampliado da amamentação e outros aspectos relacionados à amamentação e introdução de alimentos;

Ø     Agregar profissionais da rede básica de saúde ao GIAME (Grupo de Incentivo ao Aleitamento Materno Exclusivo), existente no Hospital Nossa Senhora da Oliveira.

Ø     Conscientização dos profissionais de saúde dos benefícios da amamentação e da importância do apoio dos mesmos às mães;

Ø     Estruturação das Unidades Básicas Amigas da Amamentação em todas as 10 UBS e ESF;

Ø     Capacitação de grupo de voluntárias para o Disk Amamentação, junto com Pastoral e outras ONGS;

Ø     Criação de protocolos que estimulem e protejam o aleitamento materno exclusivo até o 6° mês de vida;

Ø     Realização anual das Semanas Municipais da Amamentação;

Ø     Projeto pedagógico de educação para amamentação para crianças em fase pré-escolar e escolar;

A imagem que consta no fundo desse trabalho é a logo que utilizamos em todas as ações relacionadas à amamentação no município

CRONOGRAMA

Ação
 

Prazo final

Realização pesquisa com profissionais da saúde;
 

Outubro/ 2007

Realização pesquisa diagnóstica de aleitamento materno com crianças até 6 meses;
 

Julho/ 2007

Estruturação das Unidades Básicas Amigas da Amamentação em todas as 10 UBS e ESF;
 

Agosto/ 2008

Capacitação das visitadoras para PIM Amigo da Amamentação
 

Novembro/ 2007

Capacitação de profissionais no manejo clínico e ampliado da amamentação;
 

Agosto/ 2008 e, após, constante

Capacitação dos professores para trabalhar o tema amamentação nas escolas municipais e estaduais
 

Julho/ 2007

GIAME (Grupo de Incentivo ao Aleitamento Materno Exclusivo);
 

Março/ 2008

Disk Amamentação;
 

Agosto/ 2008

Realização anual das Semanas Municipais da Amamentação;
 

01 a 07 de agosto

Projeto pedagógico de educação sobre amamentação para crianças em fase pré-escolar e escolar;
 

Agosto/ 2007

AVALIAÇÂO

O diagnóstico inicial dos índices de aleitamento materno foi realizado nas Unidades Básicas de Saúde do Município de Vacaria, RS, com 174 crianças entre 0 e 6 meses.

Foi realizada uma análise exploratória, utilizando-se tabelas de freqüência univariadas e em tabelas de  dupla entrada.

 

Figura 1: Distribuição das crianças conforme o sexo

 

Na Tabela 3, apresenta-se a distribuição das crianças conforme o tipo de alimentação das crianças pesquisadas.

 

TABELA 3 - Tipo de alimentação das crianças

Tipo de alimentação das crianças
 

Número de Casos
 

Percentagem

1. Aleitamento materno exclusivo (AME)
 

72
 

41

2. Aleitamento materno + fórmula infantil (AME+FI)
 

9
 

5

3. Aleitamento materno + água ou chá (AM+ÁGUA)
 

20
 

12

4. Aleitamento materno  + leite de saco ou de caixa (AM+LS)
 

11
 

6

5. Aleitamento materno + leite de “vaca do sítio”(AM+LV)
 

8
 

5

6. Somente fórmula infantil (FI)
 

11
 

6

7. Somente leite de saco ou caixa (LS)
 

15
 

9

8. Somente leite de “vaca do sítio” (LV)
 

0
 

0

9. Aleitamento materno + alimentação (AM+AL)
 

13
 

7

10.Fórmula infantil + alimentação(FI+AL)
 

3
 

2

11.Leite de saco ou caixa + alimentação(LS+AL)
 

12
 

7

12.Leite de “vaca do sítio” + alimentação(LV+AL)
 

0
 

0

Total
 

174
 

100

 

Na Figura 3, apresenta os indicadores do aleitamento materno das crianças pesquisadas no Município de Vacaria, RS, por idade e por tipo de aleitamento materno.

 

Pode-se observar que 60% das crianças que receberam apenas o leite materno como única fonte de nutrição até 59 dias de idade.

 

Figura: Indicadores do aleitamento materno em crianças pesquisadas em  Vacaria

 Junto com Universidade, haverá o monitoramento periódico dos novos resultados das intervenções, através de novas pesquisas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

•          SUSIN, Lulie R.O., GIUGLIANI, Elsa R.J., KUMMER, Suzane C et al. Uma estrategia simples que aumenta os conhecimentos das mães em aleitamento materno e melhora as taxas de amamentação. Rev. chil. pediatr., set. 2000, vol.71, no.5, p.461-470. ISSN 0370-4106.

•          Elsa R. J. Giugliani  Amamentação: como e por que promover J. Pediatr. (Rio). 1994; 70 (3) 138-151: aleitamento materno, leite humano, promoção da saúde, educação em saúde.

 

•          Maria Mercedes Loureiro Escudera, Sonia Isoyama Venanciob e Julio César Rodrigues Estimativa de impacto da amamentação sobre a mortalidade infantil Rev Saúde  Pública2003;37(3):319-25

•          Marina Ferreira Rea e Tereza Setsuko Toma  Proteção do leite materno e ética Instituto de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil

•          www.aleitamento.com

•          Giugliani ERJ, Lamounier JA. Aleitamento materno: uma contribuição científica para a prática do profissional de saúde. J Pediatr (Rio J). 2004;80(5 Supl):S117-S118.

 

•         www.isaude.sp.gov.br/amamu

 

 

***************************

 

 

Este artigo foi apresentado como

Mini-Monografia de conclusão do

I CURSO de MANEJO AMPLIADO da AMAMENTAÇÃO

organizado pelo site www.aleitamento.com

em agosto/setembro de 2007.

 

Leia aqui no aleitamento.com o artigo:

"Planejando Cidades Amigas da Amamentação"

 


Última atualização: 19/1/2011

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital