Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

\ Amamentação \ Dicas \ Artigo

AMAMENTANDO em várias posições: bom para a mãe e para o bebê

Por: Marcus Renato de Carvalho + Revista Pais & Filhos

 

 
/
 
 
 
 
 
Posições para amamentação
Saiba qual a melhor forma de amamentar seu filho
 
 
 

 
 
Por Matheus Monteiro, filho de Leonice e Edimar

 
Revista Pais & Filhos
 

                    Ao escolher uma posição para dar de mamar, o mais importante é que você esteja confortável e que seu filho alcance o seio com facilidade.  Basicamente, todo o sucesso da amamentação consiste em conselhos práticos e principalmente apoio psicológico – a família, o marido são fundamentais (mulher confiante tem maiores chances de amamentar com sucesso). Para isso, você pode:

Fazer a posição tradicional: é a posição mais comum para amamentar. A mãe posiciona o bebê a sua frente, com a cabeça apoiada na junção braço-antebraço, e o rosto de frente para mama. A barriga do bebê fica próxima à barriga da mãe, e as mãos dela se apoiam nas nádegas da criança. Importante ressaltar que todo o corpo do bebê deverá estar voltado para mãe, não somente o rosto.

(Ilustrações cedidas pela editora Guanabara Koogan, integrante do GEN | Grupo Editorial Nacional.)

Fazer a posição invertida: Atualmente a posição invertida é muito comum e muito utilizada ainda na maternidade, principalmente para mulheres que acabaram de se submeter à cesárea. Devido à sensibilidade no local da cirurgia, a equipe orienta e auxilia o posicionamento do bebê nesta posição para promover mais conforto, principalmente para mãe. É necessário auxílio com almofada (ou travesseiro), onde a mãe possa permanecer na cama.

O bebê é literalmente colocado de modo “invertido” (a cabeça é apoiada com uma das mãos, fica de frente para a mama, pernas ficam encaixadas na região axilar e todo o corpo do bebê fica apoiado sobre a almofada ou travesseiro), e a mão oposta fará o apoio da mama a ser oferecida. Pode ser utilizada também em casa, após a alta, e quando realizada na poltrona para amamentar, pode ser mais confortável. É bastante recomendada para amamentar gêmeos simultaneamente.

- deitar e colocar o bebê em posição paralela a seu corpo para amamentar à noite.

- segurar o bebê no colo em posição transversal, utilizando o braço do mesmo lado do seio em que ele mama. 

 - No caso de gêmeos, você pode usar qualquer combinação citada, se você desejar dar de mamar ao mesmo tempo 

Mudanças

Vale a pena tentar posições diferentes para amamentar, já que ajuda a “esvaziar” várias regiões das mamas e evita a pressão e o atrito da boca do bebê sobre uma única região do mamilo/aréola. E, às vezes, pode haver um ducto de leite bloqueado, e colocar o bebê no peito, de modo que a língua do lactente esteja sobre este local, ajuda muito a drenagem, ou seja, o “desempredamento” deste local.

Atenção

A posição incorreta pode causar rachaduras e fissuras no seio da mãe. Existem alguns sinais indicativos de que o bebê está sendo amamentado incorretamente: o corpo do bebê pode estar longe do corpo da mãe, o queixo não está próximo da mama, a boca do bebê parece fechada, visualiza-se boa parte da aréola, faz sucções muito rápidas, fica irritado ou choroso, pode ainda ouvir barulhos tipo estalidos ou beijinhos e dificilmente fica saciado. Para a mãe, um dos principais sinais é a dor nos mamilos, que persiste do início ao fim da mamada. Neste caso, a avaliação de um profissional é fundamental para detectar o tipo de dificuldade (se é na pega do bebê ou no posicionamento, ou até em ambos) e corrigir a tempo.

A amamentação deve ser um momento prazeroso, de troca, carinho e promoção de vínculo.                                                                               

Consultoria:

Marcus Renato de Carvalho, é pediatra, professor da UFRJ, e autor do livro “Amamentação – Bases Científicas”,

Monica Pontin, é enfermeira do GAAM Anália Franco do Hospital Rede D’Or São Luiz, e mãe do Pedro

 
 
 

Última atualização: 20/6/2013

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital