Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

\ Amamentação \ Geral \ Artigo

AMAMENTAÇÃO nos primeiros dias

Por: Jamille Ribeiro para o Olhar Vital - UFRJ

Primeiros dias de aleitamento:

um desafio a ser vencido

Jamille Ribeiro

                               Além dos vários benefícios à saúde, a amamentação é um momento especial e único na vida de mães e filhos. Por isso o Olhar Vital traz este mês uma série de quatro matérias sobre o tema.

Vamos começar com o esclarecimento de um medo muito comum em “mães de primeira viagem”: a dor e as rachaduras no peito que podem ocorrer no início do aleitamento. Para falar do assunto, convidamos o pediatra e professor do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFRJ, Marcus Renato de Carvalho, especialista em amamentação e que acaba de lançar um livro sobre o assunto em parceria com vários profissionais de saúde - fonos, nutricionistas, enfermeiras, psicólogas, farmacêuticos, odontólogos, fisioterapeutas, fisiologistas, anatomistas....

O especialista esclarece que a amamentação não deve ser sinônimo de dor, sangramento ou sacrifício.

Na maioria dos casos em que estes problemas ocorrem, a solução é mudar a posição do bebê enquanto é amamentado.

“Se está difícil ou doloroso, deve haver algum problema na técnica: má pega (ou seja, o bebê não está sendo posicionado no colo materno de forma que possa abocanhar grande parte da aréola; os bebês devem ficar barriga com barriga) ou o peito está muito ingurgitado e precisa ser um pouco ‘esvaziado’”.

Segundo o pediatra, se o problema persistir pode ser sinal de monilíase ou candidíase mamilar e oral (no recém-nascido). Para esses casos, existem organizações como os Hospitais Amigos da Criança, os Bancos de Leite Humanos ou Grupos de apoio como “As Amigas do Peito”.

Ao contrário do que muitas mães acham, não existe um preparo físico da mama, mas, sim, um preparo mental, como revela Marcus Renato:

“É necessário um ‘preparo’ para a amamentação. Leituras, cursos para casais grávidos, visitas a sites confiáveis na internet, encontro com grupos de mães podem ajudar. Não se prepara as mamas como recomendávamos antigamente; o que precisa ser ‘preparada’ é a cabeça das gestantes e seus familiares”.

A política nacional de Aleitamento Materno defende o leite materno como alimento exclusivo durante os primeiros seis meses de vida do bebê. Marcus Renato concorda e reforça a questão:

“O ideal seriam seis meses de forma exclusiva (sem água, chás, sucos ou outros complementos) e amamentação continuada até dois anos ou mais. Sendo que, a partir dos seis meses, o lactente começa a comer a ‘comida da família’”, finaliza o médico e lembra o dito popular:

“É como se diz: do peito à comida caseira, saúde a vida inteira”.


Última atualização: 07/10/2010

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital