Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

\ Amamentação \ Pesquisas \ Artigo

FENILCETONÚRIA & Amamentação

Por: European Journal of Pediatrics

LACTENTES COM FENILCETONÚRIA podem ser AMAMENTADOS

 

Uma Diferente Abordagem para a Amamentação de Crianças com Fenilcetonúria


Num estudo feito por um grupo holandês, publicado recentemente no European Journal of Pediatrics, os autores objetivaram estudar a possibilidade e segurança de uma nova conduta para amamentar crianças com fenilcetonúria (PKU).

Comparou-se um grupo de crianças com PKU alimentadas por leite materno de acordo com o novo protocolo dos pesquisadores com um grupo de crianças com fenilcetonúria alimentadas apenas com fórmula infantil. O grupo com leite materno consistiu de 9 crianças nascidas entre 1994 e 1999 amamentadas na época do diagnóstico.

O grupo com uso de leite de vaca modificado consistiu de 9 crianças com PKU, nascidas entre 1988 e 1997. No grupo com leite materno, as amamentações alternaram entre leite materno e leite de vaca modificado sem fenilalanina (Phe). Os números de mamadas no seio foram adaptados às concentrações plasmáticas de Phe. Em cada mamada, tanto na mamadeira quanto no seio, permitiu-se à criança a liberdade para atingir a saciedade.

Dados no controle metabólico e crescimento durante os primeiros 6 meses não mostraram diferenças estatísticas. A concentração média de Phe no grupo com leite materno foi de 170 µmol/l (variando entre 137–243 µmol/l) e no grupo com mamadeira foi de 181 µmol/l (variando entre 114–257 µmol/l). Comparada com a conduta diária onde tanto a mamadeira quanto o seio são oferecidos para cada alimentação, esta nova abordagem é mais conveniente para os pais e a criança será capaz de esvaziar o seio.

Os autores concluíram que os resultados sugerem que este protocolo de amamentação é seguro no tratamento estrito de crianças com fenilcetonúria.

Uma resenha de A different approach to breast-feeding of the infant with phenylketonuria - European Journal of Pediatrics

 


Última atualização: 4/1/2011

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital